Lucky Lux (Coimbra)

A Lucky Lux, em Coimbra, abriu portas a 11 de fevereiro de 2017. Rui Ferreira já “tinha participado nos projetos XM e Quebra Orelha” que tinham discos seus à venda, “mas nenhuma dessas lojas” era sua. Rui trabalha desde 1995 “na indústria musical: no leme da editora Lux Records; no papel de agente/manager de bandas como Belle Chase Hotel, Wraygunn, Legendary Tigerman, Sean Riley & The Slowriders, D3O, Raquel Ralha & Pedro Renato; e ainda na Rádio Universidade de Coimbra”, onde foi presidente da direção, diretor de programas e onde ainda hoje realiza o programa “Cover de Bruxelas”. Mas até Outubro de 2016, acumulou “sempre este envolvimento com o trabalho profissional de enfermeiro nos Hospitais da Universidade de Coimbra”. Nessa altura decidiu “finalmente”, dedicar-se “a tempo inteiro à música e assim nasceu a Lucky Lux”. O nome da loja “surgiu há muitos anos: era uma das hipóteses de nome para a empresa que representava a marca Lux Records” Na altura “acabou por avançar outro nome, mas desta vez” julgou “que era perfeito”. E Lucky Lux ficou.

Na Lucky Lux “os álbuns no formato 12” em vinil são os mais representados, especialmente nas áreas do pop/rock, alternativa e música portuguesa”. Há secções “de punk, heavy metal, jazz, clássica, música brasileira, soul/funk, bandas sonoras, hip-hop e world music, mas menos representativas”. A loja tem também CD “com as mesmas divisões”. Quanto a formatos há discos de vinil ( de 7”, 10” e 12”), CD, cassetes e DVD de música. Os mais procurados são os álbuns em vinil.

A grande secção na Lucky Lux “é a do Pop/Rock, com uma área de discos usados e outra de novos”. E entre elas “há alguns artistas com destaque especial com direito a divisória própria”. Outra secção importante “é a da música portuguesa, também com áreas distintas para novos e usados”. Depois “há outras pequenas secções de áreas mais específicas: jazz, clássica, punk, música brasileira, world music/reggae/hip hop, bandas sonoras, soul/funk e alternativa”. E, “como é evidente”, as edições da Lux Records “também têm secções próprias em vinil e CD”.

As vendas de discos de vinil novos e usados “equivalem-se” na Lucky Lux. E as edições da Lux Records “contribuem muito para esse equilíbrio”. Há na loja “muitos clientes que só compram discos novos e outros que abominam as reedições, só compram usados”. A Lucky Lux vende “muitos discos em CD”. Rui explica que, “tal como aconteceu com o vinil, o CD atravessou uma década e meia de declínio, mas a tendência será para recuperar terreno nos próximos anos”. A cassete “tem vendas residuais”. A verdade é que na loja só estão à venda “cerca de meia centena de títulos”.

Em breve estará “em funcionamento o site da loja”. De momento a Lucky Lux faz vendas online apenas na plataforma Discogs (em http://www.discogs.com/seller/ruiluxrecords).

Os colecionadores “são os que mais frequentam” a Lucky Lux. E “repetem as visitas”. Aqueles que procuram “raridades e discos que nunca aparecem nas grandes superfícies” ou seja, no fundo, “os clientes que gostam realmente de música e que preferem tê-la num formato físico”, explica Rui Ferreira. Os “principais clientes situam-se entre os 35 e 55 anos de idade, mas não deixa de ser curioso que haver cada mais adolescentes a comprar discos de vinil”, observa. Há “muitos clientes entre a comunidade estudantil, mas os períodos de férias não interferem significativamente no desempenho da loja”. Os turistas “asseguram uma boa fatia das vendas e os meses de julho e agosto até costumam ser os que apresentam” melhores resultados.

A música que se ouve na Lucky Lux “costuma depender daquilo que apetece escutar no momento”. Há uma “tendência para ouvir as novidades e recentes entradas nas prateleiras”. Muitas vezes colocam “para audição as novidades das edições da Lux e, claro, os pedidos de clientes”.

Atrás do balcão costumam estar Ricardo Fernandes (40 anos) e o Rui Ferreira (51 anos).

Pedimos três discos a cada um:

Ricardo Fernandes: Clash – Sandinista, Specials – Specials, DJ Shadow – Endtroducing, Love – Forever Changes e Who – My Generation.

Rui Ferreira: Suicide – Suicide, Rodriguez – Cold Fact, Sean Riley & The Slowriders – Farewell, Modern Lovers – The Modern Lovers e Stone Roses – The Stone Roses

Lucky Lux

Rua Sargento Mor, nº11 em Coimbra

Horário:

De segunda a sexta-feira entre as 10.00 e as 19.00

Sábado entre as 10.00 e as 18.00.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.