Duran Duran “I Don’t Want Your Love” (1988)

Finda a Strange Behaviour Tour que devolveu os Duran Duran à estrada após a edição de Notorious e que, em algumas datas nos EUA e Canadá se cruzou com a Spider Glass Tour de David Bowie, para quem fizeram primeiras partes, era tempo de pensar um novo disco. O sucesso mediano dos singles Skin Trade e Meet El Presidente, com resultados mais baixos desde Careless Memories em 1981, deixava claro que o “patamar” no qual habitavam antes do hiato de 1985 estava distante, com as atenções mainstream agora focadas noutros protagonistas. O mapa no qual se encontravam sugeria, contudo, que, ao lado da incerteza com que um novo disco seria recebido, ao grupo havia sido dada nova folga para experimentar outras ideias e eventuais novos caminhos. E eis que nasce Big Thing, cujas sessões começaram a ganhar forma em Paris, contando com dois produtores. Por um lado Jonathan Elias, com quem John Taylor tinha trabalhado no seu primeiro single a solo. E, por outro, Daniel Abrams, um nome que deixava crer que a presença de novas formas da música de dança ia definir a arquitetura de algumas das novas canções. E assim foi…

Esta relação próxima dos Duran Duran com a música de dança, expressa logo desde o álbum de estreia e já manifestada em várias versões apresentadas em máxis e, entretanto, reforçada em Notorious, levou-os a olhar uma vez mais em volta, assimilando então ecos da revolução house então em curso. E o single apresentado como avanço do álbum tratou de deixar bem clara essa presença.

Cruzando um já experimentado interesse por heranças do funk (reforçado pelo arranjo para metais) com linhas da música house, usando ambas as referências para estrutural uma canção pop, I Don’t Want Your Love surgiu em setembro de 1988 como aperitivo para o álbum Big Thing. O single, que se apresentava com uma mistura por Sheep Pettibone (um nome então determinante na criação de pontes entre a canção pop e as pistas de dança), não trazia no lado B senão a versão que a mesma canção apresentaria, depois, no álbum.

Para acompanhar o lançamento do single, o grupo rodou um teledisco que voltou a dar visibilidade à presença do guitarrista Warren Cuccurullo, apesar de não ser ele o responsável por todas as guitarras na gravação. Presente em estúdio (mas não no vídeo), o baterista Steve Ferrone, que tinha já colaborado em Notorious, teve aqui mais uma colaboração com os Duran Duran que, tal como sucedera desde 1986, continuaram a apresentar-se oficialmente apenas como um trio.

Um pensamento

  1. Eles não se apresentaram como Duranduran, era um mero artifício de grafismo. Muito se falou disso, mas é um equívoco. Era um mero elemento de grafismo, juntando as duas palavras.

    Gostar

Deixe uma Resposta para Ricardo Cancelar resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.