Fernando Tordo, “Cavalo à Solta” (1971)

Lado A: Cavalo à Solta

Lado B: Aconteceu na Primavera

Phillips, 1971

Fernando Tordo, que se tinha estreado discograficamente com uma segunda formação dos Sheiks, tinha dado os seus primeiros passos a solo ao participar na edição de 1969 do Festival da Canção. Fora então chamado para cantar Cantiga, de José Firmino Morais Soares e José Henrique Rodrigues Dias. No ano seguinte regressou, desta vez também como coautor (com Jaime Queimado) da música em Escrevo às Cidades, com letra de Vítor Manuel Oliveira Jorge. À terceira foi de vez. Não para ganhar (isso aconteceria em 1973, com a Tourada). Mas à terceira foi de vez a capacidade em marcar não só a história do concurso como a da própria canção portuguesa. E aconteceu com a sua primeira parceria (no festival) com José Carlos Ary dos Santos, com quem trabalharia de forma intensa até ao início da década de 80.

Tinham-se conhecido, curiosamente, em 1969, por ocasião de uma ida de Fernando Tordo à sede da editora Valentim de Carvalho, para preparar a edição em disco de Cantiga (que surgiria pouco depois em formato de EP, lançamento algo ofuscado pelo mais marcante single com uma versão de Windmills Of Your Mind desse mesmo ano). Desse encontro nasceram afinidades que pouco depois se começaram a materializar num trabalho em conjunto. Desse labor em comum começaram a surgir canções logo nesse mesmo ano, entre as primeiras estando as que se escutaram então no EP Bem Querer Mal Viver. Contudo, ao Festival da Canção, só concorreram conjuntamente pela primeira vez em 1971.

A história da canção começou com uma melodia que o próprio Fernando Tordo começou a trautear na rua. Correu a casa de João Maria Tudella (que vivia ali perto) e gravou numa bobina essa primeira ideia. Depois, já com Ary dos Santos, as palavras começaram a encaixar na música… E na hora de dar título à canção foi João Maria Tudella quem fez a sugestão. E assim nasceu Cavalo à Solta, que ficou classificado em 3º lugar (Tonicha venceu com Menina e Paulo de Carvalho com Flor Sem Tempo).

Cavalo à Solta surgiu num single, partilhando o lado B com Aconteceu na Primavera, também com música de Fernando Tordo e letra de Ary dos Santos. Os arranjos são de Dennis Farnon e a produção de Luís Villas Boas, a mesma dupla que pouco depois assinaria os mesmos papéis em Tocata, o álbum de estreia de Fernando Tordo.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.