Memórias de Bob Dylan em Nashville com Johnny Cash ao seu lado, em estúdio

Ao mesmo tempo que caminha pelo mundo na sua digressão interminável, outra “neverending story” na vida de Bob Dylan é a que tem vindo a ser apresentada na coleção de gravações de arquivo a que chamou Bootleg Series. Se a surpresa (e as consequentes revelações) de cada edição falam por si a cada novo título, na verdade uma das forças maiores do tom inesperado que sempre ter caracterizado esta série é a vontade evidente de não arrumar cronologicamente estes encadeados de memórias. Pelo que cada nova edição da Bootleg Series pode conduzir-nos a uma etapa qualquer na vida e obra de Dylan. Esse ziguezague entre tempos, fases, colaborações, transformou-se, entretanto, numa rede na qual começamos agora, já com 15 títulos editados, a fazer as ligações em falta. E o 15º volume, que se apresenta com o título Travelin’ Thru, na verdade estabelece as ligações entre o que em 2014 encontrámos no volume 11 The Basement Tapes Complete (que reunia as míticas gravações com os futuros The Band entre junho e outubro de 1967) e o volume 10 Another Self Portrait, de 2013, que concentrava sobretudo as demos que Dylan criou entre 1969 e 1971 para os álbuns Self Portrait e New Morning.

Este 15º volume leva-nos a Nashville, entre 1967 e 1969, cidade onde Dylan tinha já gravado parte de Blonde on Blonde, em 1966, mas desta vez tudo acontecia num clima diferente, com outro ritmo de trabalho e, igualmente, novos colaboradores em estúdio. E há logo um contraste enorme entre as nove horas e meia que foram necessárias para gravar John Hesley Harding (editado em 1967) e as mais de 70 que esse disco mítico de 1966 havia exigido. Da curta dose de sessões e do facto de algumas bobinas terem desaparecido (até ver…) resulta a relativamente curta quantidade de outtakes que agora podemos escutar, em todos eles notando-se apenas diferenças de detalhe, ou de busca de uma forma final, em canções nas quais Dylan não parecia querer fugir muito das ideias inicialmente levantadas.

Muito mais rico em acontecimentos é aqui o relato – através de gravações – dos bastidores da criação de Nashville Skyline (que seria editado ainda nesse mesmo ano de 1969), sobretudo pelo facto de, entre a agenda de sessões de estúdio, terem figurado dois dias dedicados a um encontro entre Bob Dylan e Johnny Cash. Eram figuras determinantes da canção americana, mas com histórias, timbres e modos de pensar (e interpretar) bem distintos. Mas Cash há muito que atraía Dylan. E Dylan, por sua vez, era há muito atentamente escutado (em disco) por Cash. No alinhamento de Nashville Skyline ouvimo-los juntos em Girl From The North Country. Mas agora, neste volume 15 das Bootleg Series, escutamos uma impressionante coleção de momentos gravados a 17 e 18 de fevereiro de 1969 no Estúdio A da Columbia em Nashville, em jornadas que ali chamaram grandes vultos da country, entre os quais Carl Perkins. Ouvimo-os ora a mergulhar entre os temas novos de Dylan e uma série de memórias, que vão desde versões de clássicos como I Walk The Line ou Ring of Fire ou, tesouro dos tesouros, o momento em que ambos abordam Don’t Think Twice It’s Alright, a dada altura ouvindo-se Johnny Cash a juntar ali a letra que ele mesmo imaginara para a mesma melodia, mas à qual chamou Understand Your Man. Na verdade muitas das preciosidades que encontramos nos discos 2 e 3 desta caixa de três CD chegaram até nós por razões que nos deveriam fazer questionar o modo como hoje se grava. Porque havia sempre um gravador de fita com o botão “rec” ligado criando um registo que não se apagava, porque as bobinas não paravam de rodar. E, depois, porque alguém guardou estas gravações, mesmo não tendo sido usadas. Da idade da gravação digital, na qual se apaga logo o que não interessa para o disco, não ficarão tesouros como estes para daqui a meio século alguém poder criar novos pontos de vista sobre os discos que se criam neste nosso tempo.

Regressando a Dylan e às gravações aqui reunidas vale a pena sublinhar que, além destas memórias registadas em estúdio nas sessões dos álbuns de 1967 e 1969, este 15º volume das Bootleg Series envolve ainda a memória dos três temas que Dylan apresentou então no programa de TV de Johnny Cash (um deles o dueto que levaram ao álbum) e ainda a memória de um encontro com o herói do banjo Earl Scruggs que inclui momentos de uma conversa além dos temas tocados em conjunto com Dylan e seus parceiros de então. Um verdadeiro documento histórico, este volume, que junta ainda um booklet com um belo ensaio que contextualiza e explica esta música e inclui um texto de Rosanne Cash, filha de Johnny Cash, que recorda os episódios que estas gravações agora permitem revivitar.

“Bob Dylan Travelin’ Thru – The Bootleg Series Volume 15”, de Bob Dylan, featuring Johnny Cash, está disponível em caixas de 3LP e 3CD numa edição da Columbia Legacy. A versão disponível nas plataformas digitais é apenas um apanhado de temas destes discos.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.