João Pedro Coimbra

Foi fundador dos Mesa e dos Bandemónio, colaborador dos Três Tristes Tigres, Coldfinger, Osso Vaidoso, entre outros. Atualmente encontra-se a gravar o seu projeto a solo  V I B R A, que combina a plasticidade de espaços públicos (Serralves, Metro, Rios subterrâneos, Casa da Música, etc.)  e as suas características acústicas, na própria composição. O disco de estreia está previsto para o final de Maio.

Qual foi o primeiro disco que compraste?

O Best of dos The Doors, na Sanky na Rua 31 de Janeiro, no Porto. Não sabia o que era mas adorei a foto do Jim Morrison em tronco nu. Em 45 r.p.m demasiadas vergonhas que passam pelo Final Countdown dos Europe, ao Wake me up (Before You Go Go) dos Wham e até ao Lady in Red do Chris de Burgh, que ofereci à minha mãe no seu aniversário.

E os mais recentes…

Ad Astra (Max Richter/Lorne Balfe), All Mirrors (Angel Olson) e o póstumo do Mac Miller, Circles que tem produção do Jon Brion.

O que procuras juntar mais na tua coleção?

Diferentes géneros, mas é transversal o gosto por edições com faixas extra.

Um disco pelo qual estejas à procura há já algum tempo.

À procura nada em particular. Mas estou à espera dos próximos do Nils Frahm, do Steve Lacy e do Flume.

Um disco pelo qual esperaste anos até que finalmente o encontraste.

O Low do David Bowie. Queria ter em vinil. O som é diferente e adoro a capa.

Limite de preço para comprares um disco… Existe? E é quanto?

No meu caso, tenho de optar pelos instrumentos, tenho uma paixão por instrumentos vintage, como sintetizadores analógicos ou baterias.

Lojas de eleição em Portugal…

Hoje em dia é raro frequentar.

Feiras de discos. Frequentas?

Gosto de feiras de velharias mas não vou a uma feira de discos de propósito.

Fazes compras ‘online’?

Faço, mas sobretudo livros. Sou assinante de dois serviços de streaming e esse é o meu modo de acesso.

Que formatos tens representados na coleção?

CD, vinil e algumas cassetes.

Os artistas de quem mais discos tens?

David Bowie, Blur, Beatles, Brian Eno, John Cale, J. S. Bach

Editoras cujos discos tenhas comprado mesmo sem conhecer os artistas…

Mute Records. Foi assim que conheci Recoil ou Barry Adamson.

Uma capa preferida

Island Life, da Grace Jones.

Um disco do qual normalmente ninguém gosta e tens como tesouro.

O Dr. Beat, dos Miami Sound Machine, da Gloria Estefan.

Como tens arrumados os discos?

Não consigo organizar. Deixo isso para a reforma. Tento isso sim, que estejam bem acondicionados.

Um artista que ainda tenhas por explorar…

John Luther Adams

Um disco de que antes não gostasses e agora tens entre os preferidos.

A última vez que isso aconteceu foi em 1998 quando comprei o Pet Sounds (dos Beach Boys) por o ter visto em mais uma lista de melhores discos de sempre.

Há algum disco teu ou em que tenhas colaborado que guardes com particular gosto na tua coleção? E há algum que não tenhas?

Comum, de Três Tristes Tigres, Mesa de MESA e o Viagens dos Bandemónio

Há discos que fixam histórias pessoais de quem os compra. Queres partilhar um desses discos e a respetiva história?

After the Gold Rush, Neil Young em cassete, comprado na Tower Records em Nova Iorque um ano antes de fechar para sempre. Não me recordo bem mas acho que custou 2, 3 dólares. Na altura tinha um carro ainda com leitor de cassetes, por isso fartei-me de a ouvir.

Um disco menos conhecido que recomendes…

Gonzales, Solo Piano.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.