Música para olhar a noite… que fica para lá da nossa janela

Eletrónica, percussão e outros instrumentos cruzam-se no jazz ambiental que se escuta em “Aux Pieds de La Nuit”, belíssimo álbum assinado por Nyx Nótt, músico que esteve quase para manter o anonimato mas, afinal, até é nome que conhecemos. Texto: Nuno Galopim

Num primeiro contacto o nome poderá não dizer quase nada a ninguém. Mas se acrescentarmos que Nyx Nótt não é senão um projeto a solo de Aidan Moffat (dos Arab Strap), a coisa pelo menos perde um sentido de aparente anonimato… Mesmo assim, não é pelo historial de discos, tanto dos Arab Strap, como de Moffat a solo, que chegamos aos espaços abordados em Aux Pieds de La Nuit… E de resto basta passarmos uma vez pelo alinhamento deste (magnífico) álbum para compreender porque, durante algum tempo, o seu autor ponderou a eventualidade de não revelar quem estaria, de facto, por detrás do nome Nyx Nótt. Porque, como diriam os velhos Monty Python… e agora para algo completamente diferente. E, acrescento eu, significativamente mais cativante.

O disco foi nascendo em noites longas em casa do músico. Aidan fechava-se no seu estúdio quando toda a família já dormia. Confessa-se um noctívago, de sono difícil, e as longas horas de escuridão aqui acolheram um habitante que as soube celebrar num conjunto de temas instrumentais aos quais chamou Aux Pieds de La Nuit (sim, o título em francês teria ajudado a criar a ilusão de que se tratava de um novo músico, algures a viver no outro lado do Canal da Mancha). Para vincar mais a caracterização da ideia que aqui se apresenta vale a pena sublinhar que Nyx é uma divindade noturna grega e Nótt desempenha um papel algo semelhante na mitologia nórdica.

Samples, sons guardados em sessões de estúdio (juntando pontualmente cordas ou metais), efeitos e sons de objetos registados na ocasião, um pensamento sobre percussão e o espaço ao seu redor, juntaram-se numa música ambiental, claramente noturna, mas evidentemente cativada pelos sabores de um jazz cinematograficamente pincelado sobre as telas lançadas pelas eletrónicas, percussão e colagens. Tal como Nestor’s Saga (The Tale Of The Ancient), do álbum de 1981 de John Surman (The Amazing Adventures Of Simon Simon) sugeria uma maresia tão reconfortante como intrigante num encontro entre o jazz e a música eletrónica, também aqui Aidan, perdão, Nyx Nótt, faz de Aux Pieds de La Nuituma celebração sensorialmente estimulante e até cinematograficamente apetecível, da noite enquanto espaço aberto à descoberta, à surpresa, à vertigem do desconhecido…. mas no conforto seguro de quem a contempla com prazer, desperto e sem medo. Em tempo de confinamento, semi-confinamento ou a caminho de um desconfinamento, esta noite (de ouvir) sugere alguma paz que a luz do dia ainda não nos dá.

“Aux Pieds de La Nuit”, de Nyx Nótt, está disponível em CD e nas plataformas de streaming numa edição da Melodic. Uma segunda prensagem em LP (vinil transparente), acompanhada por um single de bónus, e que é limitada a 300 exemplares, está disponível via Bandcamp.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.