Tomita “Pictures at an Exhibition” (1975)

Um ano depois de um álbum dedicado a Debussy, que representou o momento de descoberta de Isao Tomita pelo mundo ocidental, o músico japonês propôs uma nova abordagem a terrenos da música clássica, desta vez visitando Mussorgsky. Texto: Nuno Galopim

Quando falamos no emergir de uma relação das electrónicas com a música popular é frequente pensarmos, em primeiro lugar, em acontecimentos com geografia alemã… Mesmo havendo entre os pioneiros desta abertura de novas ferramentas electrónicas com outro país registado no respetivo passaporte – e basta evocar figuras como as de Raymond Scott, Vangelis ou Walter Carlos – foi de facto na Alemanha de finais de sessenta e inícios de setenta que uma revolução foi posta em marcha, colocando em cena as visões de nomes como os Kraftwerk, Can, Cluster ou Tangerine Dream, entre outros mais. Mas a história das electrónicas em terreno popular conheceram também importantes contribuições vindas do outro lado do mundo. E do Japão, antes mesmo da formação da Yellow Magic Orchestra, chegaram primeiras contribuições assinadas por um compositor com experiência já feita entre a televisão e os palcos do teatro que, ao contactar com os primeiros exemplos de teclados electrónicos, juntou a sua voz à dos demais pioneiros que, então, começavam a inventar o futuro da música. Chamava-se Isao Tomita (1932-2016).

Entre finais de 60 e inícios dos anos 70, claramente sob influência dos trabalhos recentes de Wendy Carlos e dos instrumentos criados por Robert Moog, levou as suas atenções para esses caminhos. E iniciou um percurso discográfico que tem nos seus primeiros títulos algumas peças pioneiras na história da assimilação das electrónicas pela música popular.

Em 1972, assinado como Electric Samurai, editou o álbum Switched on Rock, um conjunto de abordagens a canções dos Beatles, Elvis Presley ou Simon & Garfunkel. Coube contudo ao disco de 1974 Snowflakes Are Dancing (lançado no Japão como Clair de Lune) que editou já sob o seu nome, o feito de o colocar no mapa das atenções de uma nova música que começava a ganhar forma. Aí tomou peças de Debussy como ponto de partida, rearranjando-as com um teclado Moog. O disco teve grande impacte, e abriu caminho a outras explorações futuras nas quais a música do passado encarava assim desafios do presente com sabor a futuro. E logo um ano depois do disco com música de Debussy a atenção de Tomita apontou azimutes a Modest Mussorgsky.

Uma das mais reconhecidas manifestações do talento de Mussorgsky, é o conjunto de peças para piano que compôs em 1874 sob o nome como Quadros Numa Exposição, em homenagem ao seu amigo Viktor Hartman, artista e arquiteto, falecido um ano antes. Antigo estudante de Belas Artes em São Petesburgo, Hartman trabalhou essencialmente como ilustrador de livros e como arquiteto. As aguarelas e desenhos “livres” que deixou foram, na sua maioria, pintadas em viagem. De comum com a música de Mussorgsky, que conheceu em 1870, a pintura de Hartman revelava uma atenção por motivos tradicionais russos. A sua morte, causada por um aneurisma, em 1973, motivou uma exposição de perto de 400 obras suas em São Petesburgo um ano depois. E foi nessa exposição, e em quadros concretos, que Mussorgsky se inspirou para criar Quadros Numa Exposição.

Originalmente compostas ao piano, estas peças foram, já depois da morte do compositor, alvo de vários arranjos e adaptações. Mikhail Tushmalov foi, em 1886, o primeiro a assinar arranjos sobre estas peças. Mas coube a Maruice Ravel, em 1922, o arranjo que hoje é quase tido por canónico, tantas vezes que foi gravado e apresentado ao vivo desde então. Estes ‘quadros’ de Mussorgsky continuaram a atrair a curiosidade de músicos de outras gerações e géneros. Antes ainda da visão de Isao Tomita, em 1971 os Emmerson Lake & Palmer levaram a obra a disco. E, em 2002, Amon Tobin usou um fragmento da obra de Mussorgsky no seu álbum Out From Where

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.