Duran Duran, “Rio” (1982)

O quarto e último single extraído do álbum Rio correspondeu ao seu tema título e contribuiu para a confirmação do estatuto global que o grupo conquistara em 1982. A canção é hoje sobretudo recordada como banda sonora de um dos mais emblemáticos telediscos do grupo, no qual a banda surge a bordo de um iate em pose jet set, vestindo fatos de Anthony Price.

A canção abre com uma sequência de ruídos, criados em estúdio por Nick Rhodes. Na verdade nada mais do que a gravação de uma série de varetas de metal lançadas sobre as cordas de um piano… Daí cresce uma canção pop, marcada por uma linha de baixo intensa e, depois, pela presença com algum protagonismo do saxofone numa sequência instrumental perto do final. Editado como single em novembro de 1982, Rio deu mais um top ten britânico ao grupo (atingiu o nº 9). Nos EUA, depois da descoberta da canção pelos DJs no alinhamento do EP Carnival, o single de Rio foi lançado já em março de 1983, aí atingindo o nº 14.

Em Portugal, Rio foi o único single da discografia “canónica” dos Duran Duran entre 1981 e 83 a não conhecer edição local em qualquer dos formatos de 45 rotações. A canção surgiu, entre singles, máxis e álbuns em diversas misturas, somando um total de 16 versões! O single oficial (o inglês) incluiu no lado B uma versão acústica de The Chauffeur. No máxi-single eram incluídas, além de uma remistura do tema principal – rebaptizado como Rio (Part 2) – uma maquete de The Chauffeur (Blue Silver), que surgia igualmente no lado B do sete polegadas, e ainda uma nova versão de My Own Way.

O teledisco de Rio foi um dos dois (juntamente com Nightboat) que Russel Mulcahy rodou com os Duran Duran em Antígua, na Primavera de 1982. Um iate é cenário central para uma série de planos que mostram os membros do grupo em situações com algum humor e uma bizarra e garrida figura feminina. O vídeo foi filmado em três dias e, esgotado o filme, o realizador teve de pedir um bobine emprestada a um turista para rodar a cena com o saxofonista sobre uma jangada improvisada. Esse momento era suposto sugerir que o saxofonista estaria perdido em alto mar. Mas o rebentamento de uma pequena onda mostra que estava a centímetros da areia…

12″ UK
7″ japonês
7″ US

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.