André Santos

Integra o duo Mano a Mano e temo-lo visto em vários projetos ao lado de Salvador Sobral. Hoje o André Santos fala-nos dos discos que tem em casa.

Qual foi o primeiro disco que compraste?

Joe Henderson – Inner Urge

E o mais recente?

Curiosamente… Joe Henderson – The State of the Tenor

O que procuras juntar mais na tua coleção?

Maioritariamente compro discos que já conheço e que adoro, mais nas áreas do Jazz, MPB e música portuguesa. 

Um disco pelo qual estejas à procura há já algum tempo.

Carlos Menezes –  A Guitarra e Harpa que Falam

Um disco pelo qual esperaste anos até que finalmente o encontraste.

Vitorino –  Eu que me comovo por tudo e por nada

Limite de preço para comprares um disco… Existe? E é quanto?

O Máximo que paguei foi pelo disco acima: 45€

Lojas de eleição em Portugal…

Jazz Messengers, Carbono, Amor Records… Mas compro maioritariamente no Discogs ou em feiras. 

Em viagem lá fora também visitas lojas de discos? Quais recomendas?

Sim, visito. Não me lembro dos nomes… Em Nova Iorque encontrei muitos discos de Jazz menos óbvios que procurava há algum tempo. Era perto do Rockefeller Center e mais não me recordo…

Que formatos tens representados na coleção?

LPs e EPs de 45.

Os artistas de quem mais discos tens?

Vitorino, Fausto e Paul Simon. 

Há editoras das quais tenhas comprado discos mesmo sem conhecer os artistas?

Não. 

Uma capa preferida.

Nick Drake – Pink Moon 

Um disco do qual normalmente ninguém gosta e tens como tesouro.

Orfeão Paulense – Paúl do Mar 

Como tens arrumados os discos?

Desorganizado mas de forma a ler o nome. A coleção não é grande..

Um artista que ainda tenhas por explorar…

Um só? Há tantos… Vou eleger o Leonard Cohen. 

Um disco de que antes não gostasses e agora tens entre os preferidos.

Não me recordo de nenhum…

Quando fazes um disco imaginas que há exemplares que podem ir parar às mãos de colecionadores. Como imaginas que seja um colecionador que procure um disco teu?

Imagino a situação mas não o coleccionador. 

Há discos que fixam histórias pessoais de quem os compra. Queres partilhar um desses discos e a respetiva história?

Não tenho grandes histórias sobre os discos comprados. Mais sobre os discos oferecidos. Uma querida amiga ofereceu-me um disco do Chico Buarque de que gostava muito mas que há muito não era rodado e ela achou que estaria melhor nas minhas mãos.  

Um disco menos conhecido que recomendes…

Johnny Smith – The man with a blue guitar 

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.