Auditu (Leiria)

Com uma história anterior que recua à Leiria dos anos 80, a Auditu integra hoje a rede de lojas Tubitek. A oferta passa por vários suportes de áudio e vídeo e inclui um extenso fundo de catálogo, campanhas e edições especiais e limitadas.

A loja Auditu, em Leiria, tem uma história já com alguns anos de vida. “Existia desde os anos 80 no centro comercial da baixa e fechou portas em maio de 2013, tendo sido adquirida pela Compact Records”, conta Rui Borges. A partir daí a loja conheceu “nova política de gestão” e passou para outra casa, na Rua Maria Graça Lúcio da Silva, nas traseiras do Teatro José Lúcio da Silva. Rui Borges explica que a Auditu “tinha e tem o nome feito na cidade”, pelo que não quiseram “perder toda a história conseguida ao longo dos anos”, pelo que “foi decidido manter o nome”. Mais recentemente, e “com a expansão da marca Tubitek”, decidiram juntar os nomes, surgindo assim o atual Tubitek / Auditu. 

Rui Borges conta que “já existiram mais lojas de discos em Leiria, que normalmente também vendiam eletrodomésticos”, o que era “típico dos anos 80”. Mas neste momento crê que ali só existirá a Tubitek / Auditu.

A oferta proposta é “generalizada”, com “um pouco de tudo nos formatos LP, CD , DVD e Blu-Ray. A Tubitek / Auditu tem “um extenso fundo de catálogo, campanhas e edições especiais e limitadas”. O público que visita a loja “tem gosto variado e abrange todas as faixas etárias”.

Em ano de pandemia, como se adaptou a loja? Rui Borges explica que “a estratégia posta em prática neste último ano não é diferente da já adotada em tempos ‘normais’ para manter uma discoteca de portas abertas” o que implica “muito rigor nos stocks e no atendimento e estar muito atento às tendências musicais a cada momento”.

Tubitek / Auditu 

R. Dª Maria da Graça Lúcio da Silva, nº 7
2400-181 Leiria
Telefone: 244835884

Horário (em tempo “normal”)

Segunda a sábado : 10h00 às 13h00 | 14h30 às 19h00

Um pensamento

  1. A para mim inesquecível e sempre presente Auditu. Foi lá que comprei o meu primeiro disco comprado com o meu próprio dinheirinho, ainda quando funcionava num primeiro andar da Electrolis: Islands,dos King Crimson. Depois chegar-me-ia a febre do jazz, absolutamente free, e lá comprei algumas das minhas pérolas com génios do dito como Cecil Taylor, Sun Ra, Albert Ayler, Ornette Coleman e mais uns quantos.

    Gostar

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.