Duran Duran “The Wild Boys” (1984)

O desafio partiu do realizador Russel Mulcahy, o mais frequente colaborador na criação de telediscos para os Duran Duran na etapa inicial da sua obra em disco, ou seja, entre 1981 e 1985. Mulcahy tinha em mente a criação de uma possível adaptação ao cinema de The Wild Boys, de William S Burroughs e lançou aos Duran Duran a sugestão da criação de uma banda sonora. Do livro Simon Le Bom partiu para a criação da letra, surgindo a música em sintonia com a cenografia ameaçadora que ali se sugeria… O projeto para cinema de Rusell Mulcahy conheceu, entretanto, outro percurso, acabando a ideia por estar na origem de um filme-concerto dos próprios Duran Duran que surgiria em vídeo, em 1985, com o título Arena: An Absurd Notion. E a nova canção, que entretanto começara a ganhar forma, acabou colocada no centro gravítico não só da narrativa como do mood que definira o filme. Gravada no verão de 1984, com produção de Nile Rodgers (que recentemente havia assinado a bem-sucedida remistura de The Reflex), a canção colocava os Duran Duran num espaço mais anguloso, sobretudo dominado pela percussão e pelos sintetizadores, levando a voz de Le Bon a um patamar de maior esforço. Numa altura em que o grupo não trabalhava num álbum, mas antes no projeto de um disco ao vivo nascido de gravações durante a Sing Blue Silver Tour, The Wild Boys foi assim um episódio pontual, mas que se revelou um dos momentos de maior impacte da discografia do grupo.

            Se o aspeto mais anguloso das formas da canção destacou The Wild Boys dos singles que o grupo antes tinha apresentado, o teledisco representou outra das razões maiores para o sucesso da sua comunicação. De orçamento (literalmente) milionário, nasceu de um trabalho que exigiu um cenário que ocupou parte do estúdio 007 em Pinewood e um exigente labor coreográfico que a realização de Russel Mulcahy de facto soube explorar. A grandiosidade da produção foi tal que, além de suportar a medula do filme-concerto, o volume do esforço justificou a edição de um documentário que seria originalmente editado em vídeo com o título The Making of Arena.

            A versão apresentada no filme corresponde à que escutamos no máxi-single, representando por isso o single um edit criado para servir sobretudo as programações de rádio. No lado B do single (e também do máxi) surgiu uma gravação ao vivo de (I’m Looking For) Cracks in the Pavement, captada no mesmo concerto em Toronto que fora usado para a rodagem do teledisco de The Reflex. O single conheceu, além da edição standard, uma outra para colecionadores, com uma capa para cada um dos cinco elementos do grupo. O alinhamento dos singles era, contudo, igual em todos os lançamentos.

12″ UK

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.