Um tesouro dos arquivos de Aretha Franklin chegou ao vinil no Record Store Day

Uma gravação de 1972, encontrada em 2003 entre bobinas que estavam guardadas pela editora, permite reencontrar uma atuação para associados de uma associação de emissores de rádio e TV no mesmo ano de “Amazing Grace” e “Young Gifted and Black”. Texto: Nuno Galopim

Foi na sequência de um (bom) acaso que, em 2003, uma fita guardada nos arquivos da Warner revelou a gravação de uma atuação de Aretha Franklin na primavera de 1972. A cantora tinha gravado recentemente as duas míticas atuações na New Temple Missionary Baptist Church das quais nasceria, pouco depois, o álbum Amazing Grace, que se tornaria no maior êxito da história da música gospel. Às lojas tinha entretanto chegado o igualmente marcante Young Gifted and Black, que o tempo acabaria por reconhecer como outro dos títulos mais aclamados de toda a sua discografia. Se a estes factos juntarmos a sucessão de singles que, nos últimos meses, tinha levado ao Top 10 da tabela de singles dos EUA (entre os quais Spanish Harlem, que alcançara o número dois), fica claro que esta gravação data de um momento de particularmente boa forma na carreira de uma cantora que somava já alguns anos de posse da “coroa” de rainha da soul que lhe fora atribuída em finais dos anos 60. As bobinas com uma gravação já misturada indicavam apenas: Aretha Franklin NATRA, Philadelphia 1972… E logo ali estava um significado marcante: esta era uma atuação perante os associados da National Association of Television and Radio Announcers, que congregava as estações de rádio e televisão que dedicavam a sua atenção às comunidades afro-americanas, sendo por isso um espaço determinante para o lançamento e consolidação de novos talentos e novos discos nascidos nos universos da música negra. A atuação de Aretha Franklin, como explica David Nathan no texto que lemos no booklet do disco, era como que um agradecimento àqueles que, em primeiro lugar, e antes de todos mais, tinham dado visibilidade à sua música. Uma música que, desde 1967, transcendera as frequências destas estações e alcançado um patamar de exposição maior (sobretudo na rádio). Era contudo determinante manter este relacionamento próximo e firme com os associados da NATRA. E, na primavera de 1972, o concerto de fôlego e grande entrega que estas fitas permitiram recordar, deixou claro o tom de gratidão com que Aretha Franklin ali celebrava a solidez desse relacionamento. As fitas acabariam por dar origem a um disco originalmente editado apenas no formato de CD em 2007. E agora, por ocasião do segundo ‘drop’ da edição de 2021 do Record Store Day, eis que chega ao vinil (numa edição em 2LP) este Oh Me Oh My: Aretha Live in Philly, 1972.

            A atuação abre ao som de uma abordagem da orquestra em palco ao Also Sprach Zharatustra de Richard Strauss que, entretanto, ganhara dimensão na cultura pop pelo impacte do 2001 de Kubrick. O clima grandioso da abertura eleva o patamar do clima da sala para então acolher a entrada em cena de Aretha Franklin que se lança num alinhamento ao qual não escapam nem os êxitos que alicerçaram o “salto” que a sua carreira dera em 1967 (quando chegara à Atlantic Records), ora através de I Never Loved a Man The Way I Love You ou I Say A Little Prayer ora numa versão de pulso mais intenso do então já clássico Respect. Ao mesmo tempo estavam ali os quatro singles de grande sucesso do último ano, nomeadamente os mais recentes Day Dreaming e Rock Steady ainda Spanish Harlem ou a sua abordagem a Bridge Over Troubled Water. Do alinhamento do álbum Young Gifted and Black, que então era o título na linha da frente das atenções, apresentou ainda Oh Me Oh My (I’m a Fool For You Baby), que daria título a esta edição ao vivo, April Fools e ainda uma abordagem instrumental, ao piano, ao tema-título do álbum. Um ano depois de uma gravação ao vivo editada no álbum Aretha Live in Filmore West, a atuação recuperada em Oh Me Oh My: Aretha Live in Philly, 1972 é assim outro documento marcante da história de palco de Aretha Franklin na alvorada dos anos 70. E, convém sublinhar, gravado no mesmo ano de Amazing Grace e Young Gifted and Black. Aretha vivia uma das fases mais brilhantes da sua carreira. E esta gravação traduz o momento.

“Oh Me Oh My: Aretha Live in Philly, 1972”, de Aretha Franklin, está agora disponível numa edição em 2LP da Atlantic/Rhino, lançado por ocasião do Record Store Day.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.